segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Pai, eu te amo!

Sabemos que as datas comemorativas tem como objetivo final incrementar as vendas do comércio. Assim, não deveríamos ficar emocionalmente abalados quando de algum modo essas datas nos lembram coisas tristes. Mas, não tem jeito. Por mais que eu saiba que o Dia dos Pais é uma dessas datas, me senti fora de lugar por não ter mais a quem dar presente neste dia. Não que não tenhamos outras pessoas queridas a quem presentear numa data dessas, mas o Meu Pai não está mais aqui. No dia 15 de novembro fará nove anos que ele se foi, de um modo precoce, repentino, sem aviso. Sérgio de Lima Carvalho, o meu pai, morreu de infarto aos 54 anos, numa madrugada de primavera. Deixou muitas saudades e um orgulho imenso. Ele foi um homem espetacular. Honesto, correto, organizado, trabalhador por demais, legal, amigo e sensível. Sinto a falta dele todos os dias, e no Dia dos Pais senti falta de comer o churrasco que ele preparava com tanto gosto, se esmerando em atender meu paladar de menina chata. Senti falta de lhe emocionar entregando um presente com um cartão, e de ver o sorriso contido dele e o brilho de amor em seus olhos azuis. Sinto por ele ter trabalhado tanto e ter feito tão pouco as coisas que gostava como lazer. Graças a sua obstinação pelo trabalho, conquistei muitos de meus sonhos e tenho a tranquilidade de saber que minha mãe tem uma ótima casa para morar. Junto com ela, aliás, ele conquistou uma vida digna que não recebeu de mão beijada de ninguém. Sei que o corpo de meu pai já era, se foi. Mas sua linda alma está entre nós quando pensamos nele, e quando lembramos a pessoa especial que ele foi. Não acredito em vida após a morte, nem em reencarnação, mas acredito na vida eterna simbólica, ou seja, as pessoas legais não morrem porque ficam na mente de quem as amou e cabe a nós repassarmos esse amor adiante. Minha filha não o conheceu, mas sabe quem ele foi e o ama. Acredito que com isso ele já foi imortalizado. Pai, fica aqui este post como homenagem pelo seu dia. Eu te amo!

5 comentários:

Vip's disse...

Ai amiga....
Sinto-me emocionada com teu post... lembro do Seu Sérgio com muito carinho, pois cresci ali... ao ladinho dele... Mas acho que você tá certa... a imortalidade está nas recordações e no que aprendemos com as pessoas enquanto estão aqui, com a gente... Fiquei nostalgica!!! Mas saiba, que ele faz parte das lembranças da minha infância, e ele, assim como vc, tem um lugar especial no meu coração!!! Bjos!!!

Luciana Carvalho disse...

Tu que me emocionou com teu comentário, Amelinha. Muito andamos de bicicleta ali naquela rua, né? Muito brincamos naquela quadra, perto de nossos pais. Ele foi muito cedo e deixou muita saudade, mas também lembranças maravilhosas no coração de quem teve o privilégio de ter convivido com ele.

dmc1982 disse...

Não tinha visto esse teu post maninha, tuas frazes expressam perfeitamente a pessoa que nosso pai sempre foi e será em nossas mentes, um grande exemplo de honestidade e de como devemos ser, infelizmente seu unico defeito era pensar somente na familia e não em si próprio... não sei se era um defeito...

Luciana Carvalho disse...

Que alegria ter um comentário do meu irmão em meu blog! Ainda mais neste post especial pra nós...
Obrigada, Dieguito!!!!
Sentiremos saudades dele pelo resto de nossas vidas, mas o manteremos vivo em nossos corações pra sempre. Que sejamos sempre unidos para manter o espírito de família que ele tinha aceso.

Luciana Carvalho disse...

Eu entendi, Diego, o que tu quis dizer. O pai só pensava em trabalhar para nos dar uma vida digna, e acabou não cuidando de si mesmo, de sua saúde, tanto que ninguém pode evitar que ele se fosse de repente, sem aviso.